sábado, 5 de junho de 2010

Chamem-me antiquada...


... mas quando eu andava na escola tinha de estudar para passar de ano. Se tivesse três negativas chumbava e lá tinha de repetir o ano. Foi por isso, aliás, que chumbei o 8.º ano...

Também, no meu tempo, quem levava toda a vida e mais seis dias a frequentar o mesmo ano lectivo, não era beneficiado por causa disso. Se entre 30 alunos, 20 passavam e dos 10 que chumbavam, 1 ou 2 já eram repetentes reincidentes, algum problema havia, mas as regras aplicavam-se a todos: 3 negativas ou absentismo equivaliam a chumbo rotundo!

Ora bem, os tempos são outros e o facilitismo impera. E agora a senhora dos livros da treta para miúdos acha que reprovar uma e outra vez no mesmo ano é factor de desmotivação e portanto o mancebo ou senhorita que atinjam a idade de estar no 10.º ano mas que ainda estão no 7.º ou 8.º poderão, se quiserem, fazer os exames do 9.º ano para transitarem para o 10.º ano e sentirem-se, assim, mais encorajados a continuar na escola...

Oh, pelo amor da santa! Então se o mancebo ou senhorita de 15 ou 16 ainda estão a fazer o 7.º ou 8.º ano porque não conseguem aprender a matéria para passar o ano, vão lá agora conseguir fazer um exame do 9.º ano?! Vão fazer exames do 9.º ano com matéria da 1ª classe? Só pode!!!

E depois, essas pessoas que não atam nem desatam e levam a vida no mesmo ano, como é que vão acabar a escolaridade obrigatória, se saltaram - sem saberem nada - dois ou três anos escolares só por causa da idade?

Somos um país de iletrados, de gente que não sabe escrever e não sabe ler. Temos locutores de rádio e televisão a dar erros de palmatória na gramática. Temos doutores e engenheiros que não sabem dizer duas seguidas sobre nada que não seja a sua área científica (e mesmo assim, sabe Deus...). O facilitismo não nos leva a lado nenhum. Vamos ter muitos Brunos Vanderleis e muitas Tânias Vanessas a ter um CV com 12.º ano completo mas que têm na cabeça o equivalente à 4ª classe. A selecção natural vai ser viciada: vamos ter a preencher as vagas de empregos para pessoas qualificadas muita gente cujo emprego natural seria o de mulher-a-dias e varredor de ruas!

4 comentários:

Ana disse...

Ainda ontem estive a conversar com uma amiga sobre isso. É ridículo! Quem não se esforça, seja em que idade for (e os putos têm as manhas todas), não deve ser recompensado.
Se não passa o 5º ou 6º ano, é óbvio que então não sabe para passar para o 10º! E se sabe, qual é a lógica de ir para o mesmo ano que os miúdos que estudaram verdadeiramente, foram às aulas, participaram, e tiveram trabalho? Nenhuma. É a recompensa do xico-esperto, ou do burro.

Teresa disse...

Mas tu acreditas que eles vão passar? Eu não!

E ainda que passassem (boa piada)... estás a vê-los com capacidade para disputarem trabalho aos mais aptos? Olha que eu não.

PKB disse...

Ana,
Mas nesta europa onde a estatística é tudo, as coisas fazem-se assim. O que me choca é ser uma fulana que foi professora a tomar estas iniciativas parvas!

Teresa,
Eu espero que não. Mas há-de haver algumas injustiças, porque isto é mesmo assim. Não são só os pobres que sofrem de insucesso escolar...

S* disse...

Chama-se a isso cultivar a burrice.