sábado, 12 de dezembro de 2009

Ter ou não ter piada, eis a questão!




Quem não gosta de fazer alguém rir quando conta uma anedota, quando diz algo engraçado de propósito, quando cria uma piada, quando está num palco a fazer 'stand-up comedy'?
Temos de admitir que fazer rir é uma proeza única que uns mais que outros conseguem.

A questão que me coloco por vezes, quando vejo e/ou ouço certos "fenómenos" é o que é que - ou quem é que - determina que determinado fulano ou determinada fulana tem piada e é suficientemente talentoso para se lhe dar um programa de televisão ou de rádio?

Na minha adolescência eu ria com o Herman José. Vi os programas todos dele e achava - e acho - que aquele sentido de humor, aquela forma de humor, era inteligente, fazia rir porque não a piadinha vulgar do teatro de revista ou do 'sketch' para desenrascar num qualquer concurso ou Natal dos Hospitais.
Depois, o Herman perdeu a criatividade, perdeu-se um pouco... mas admiro-o pela humildade de o admitir.
O fenómeno Gato Fedorento seguiu-se e eu, confesso, gostei desse vento de mudança. Gosto deles quando têm liberdade de acção, sem estarem condicionados por um tema. As entrevistas em época de eleições foram, talvez, o ponto alto. Aquela gente faz-me rir.

Mas passemos à rádio e ao que me traz ao tema do riso.

Quando andava na faculdade e tinha de atravessar o IC19, ouvia "O Homem que Mordeu o Cão" do Nuno Markl, na Rádio Comercial. Adorava aquilo! Eu e uma série de gente que estando na fila de trânsito à saída de Rio de Mouro se desatava a rir no carro ao mesmo tempo.
Mais tarde, o Markl passou para a Antena 3 com uma série de rubricas, e de repente... onde está ele?

Sou apanhada de surpresa. Quem está a ocupar o espaço dele é um tal Bruno Aleixo. Na Sic Radical eu mudo de canal quando ele aparece. Na Antena 3 aguentei 20 segundos... se tanto! Quem disse a este caramelo que ele tem piada? Ou melhor... quem é que do alto da sua sapiência achou que este fulano tinha tanta piada que era preciso partilhar o "fenómeno" com o resto do país? Quem - ou o quê - determinou que valia a pena investir dinheiro e tempo com aquele tipo de humor (ou falta de....)?

Entretanto descobri que o Nuno Markl está outra vez na rádio Comercial. É para lá que vou de manhã, porque o fulano ainda me faz rir. E o outro não faz, nunca fez e eu penso que não nunca vai fazer.

4 comentários:

rui disse...

Alguém achou piada, alguém que PODE e por isso QUER pôr o sujeito a "dizer coisas". E isto é tudo na vida. Para a maioria só vale o pouco que cada um pode e quer. Resta-nos aquilo que uma chamada "corrente de opinião" nos leva a pensar que é o nosso direito de criticar. Mas cuidado, porque a Constituição não é para todos, mesmo que assim dela conste...

Fernanda disse...

E ele continua genial e agora acompanhado com o Pedro Ribeiro e o Vasco Palmeirim

PKB disse...

Rui,
Pois... a gente sabe que é assim mesmo! :))

Fernanda,
Ele, o Nuno Markl, certo?

Ana disse...

A Ana ouve a RFM!
Beijo*