segunda-feira, 4 de maio de 2009

Um (não muito) breve apanhado

Nos últimos dias tenho andado muito arredada do meu blogue e dos blogues dos outros. Não tenho desculpas. Apenas tenho tido preguiça. Acontece aos melhores e as Passarocas não estão imunes.

O mês de Abril foi um mês um pouco complicadito. Começou pela extracção de um dente do siso que me levou a andar a antibiótico e analgésico durante uma semana e mais uns trocos. Depois veio uma alergia aos pólens e poeiras que andam aí no ar (e que ainda não me largou completamente). Ou seja, em termos de saúde, foi um mês estúpido!
O mês de Maio (dia 1, precisamente) começou com uma cabeçada na porta do elevador que me fez pensar que tinha ficado com a cabeça achatada ou deixado uma mossa no raio da porta. Sem querer brincar com coisas sérias, pensei logo na Miranda Richardson, bolas! Imaginei-me notícia da terriola "vejam bem... uma cabeçada na porta do elevador e olha..."! (Bate na madeira três vezes, diz "lagarto, lagarto, lagarto" e benze-te, Passaroca!)

Para enriquecer o meu currículo, diversificar as minhas competências e alargar as minhas perspectivas e horizontes, iniciei um curso de formação inicial pedagógica para formadores (para obter o CAP). O curso é duas vezes por semana das 19h às 23h a uns 60 km de onde vivo. De qualquer modo, vale sempre a pena aprender coisas novas e conhecer outras pessoas.

Entretanto, fiz 37 anos. Graças a Deus não pareço ter essa idade. Pareço e sinto-me mais nova - para aí uns 30! - e se nas vésperas me sentia em baixo e sem vontade de celebrar o que quer que fosse (depressão pré-aniversário) no dia propriamente dito estava bem disposta, fui para praia com umas amigas e depois à noite tive mais pessoal amigo na minha casa a jantar e a conviver. Havia anos que não comemorava assim o meu aniversário.

Hoje, segunda-feira, estou com uma preguiça enorme e a pensar que tenho contas para pagar e o dinheiro é curto. E também penso que há 10 anos, quando terminei o meu curso, não era aqui que imaginava estar, mas sim num poleiro mais alto, com algumas coisas da minha vida resolvidas. Mas se há lição que aprendi é que não vale a pena fazer grandes planos, ter grandes sonhos e ambições. Os planos vão ao ar e os sonhos e ambições esfumam-se com eles. Aprendi a viver o dia-a-dia, a fazer planos a curto prazo, a ter sonhos alcançáveis mas sempre "cum granu salis" e a ter ambições realizáveis, mas sem perder a noção das realidades.

Mas não é por isso que deixo de rir, de sorrir, de desfrutar dos bons momentos da vida. Porque a vida, para mim, é uma colecção de momentos. Bons momentos, maus momentos, momentos assim-assim. De modo que vou rindo, vou chorando, vou encolhendo os ombros ou refilando. Tudo depende do momento!

8 comentários:

Sanxeri disse...

Ai eu ja me mentalizei que nao podemos nem devemos sonhar alto. Não chega ser inteligente para chegar longe. É preciso sorte.

Espero que estejas melhor oh avestruz! :P

Feitiozinho disse...

Ora aí está uma grande verdade, acho que toda a gente sonha numa grande carreira, aos 30 já estar a chefiar uma equipa de não sei quantas, de aos 35 estar à frente de um departamento... Infelizmente já tomei o comprimido da realidade e sei bem que mais vale acalmar os sonhos, caso contrário o sentimento de insucesso será gigante...


PS- deixa estar que não és a unica a ser atacada pelos polens assassinos, eles também andam pelas minhas bandas, sacanas!

Ana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Irremediavelmente Inconformado disse...

tbm quero tirar esse curso...agora so me falta mesmo fazer algo para que isso aconteça.

estás perdoada, desde que venhas cá de vez em quando!

;)

Rafeiro Perfumado disse...

Tens andado a antibiótico e analgésico? Bem, sempre poupas na gasolina!

Quanto aos teus 37 anos, parabéns atrasados e fica a saber que é a melhor idade do mundo! ;)

Beijos!

Miss G disse...

O que é que eu estarei a fazer aos 37??? Ao menos que preserve e tenha novos amigos, uma casa, filhos(????), saudinha, um emprego e nao passe fome nem frio. O que vier a mais é lucro!

Grilinha disse...

Óh passaroca o Abril foi mesmo um mês para esquecer.

Pensa que há males que vêem por ebm e que tão depressa não voltas a agredir o elevador a cabeçada, nunca mais vais ter juizo pois o siso já se foi e as dores não voltam (é a parte boa).

O CAP é bom para quem gosta de dar formação (que saudades dos meus 28 anos de formadora). Deixei caducar o CAP e agora já não tenho saúde para estar em pé a dar aulas e por isso não o renovo.

Beijinhos e que Maio nos traga bom tempo e dias cheios de sorrisos

morcego persistente disse...

Eu continuo a pensar que devemos levar a vida com um pé no chão e outro no ar... Já dizia a canção que o sonho comanda a vida e sem ele tb nao somos nada...se o tivermos em demasia, é como tudo na vida, faz mal=)

Eu tb começo essa minha formação já segunda feira... vamos ver se poderá ser por aí que ganho dinheiro=)

Beijo