quarta-feira, 27 de maio de 2009

Portugal, o albergue da Europa

O nosso país é muito acolhedor e gosta que as pessoas que vêm do estrangeiro viver para cá se sintam em casa. Se dantes eram os alemães e os ingleses a terem tudo e mais alguma coisa escrito na sua língua, além dos restaurantes, bares e aetecera... Agora, além de termos já jornais em russo e ucraniano e moldavo e sabe-se lá que mais, além de termos também comida proveniente desses países, além de termos escrito já em caracteres cirílicos que o certificado de registo criminal se obtém no 3.º andar, além de termos a publicidade aos cartões para as cabines telefónicas também dirigidas a essa camada da população, além de tudo isto, temos também canais de televisão russos, búlgaros, chineses, e indianos. Na cidade onde trabalho até já há uma seita religiosa de romenos e tudo.

Sim senhora! Agora o nosso imigrante vem para cá e vai logo subscrever o MEO ou a Netcabo, para poder ver as notícias da santa terrinha, vai poder ir ao super-mercado comprar comidinha da santa terrinha, vai poder ir à papelaria comprar o jornal da santa terrinha, vai poder aderir a um culto religioso...

Ou seja, para se sentir em casa, já só falta começarmos aqui no Algarve a aprender as línguas eslavas e o romeno, e acrescentamos ao inglês de praia, o moldavo de pedreiro, o ucraniano de bar de alterne, o russo de mulher a dias e o romeno de homem do lixo.

E com google, tudo é mais fácil, porque podemos escrever umas merdas para parecermos inteligentes, do estilo:

Здравствуйте, великолепна! - Olá, jeitosa! (russo)

eşti foarte drăguţ! - És muito bonita! (romeno)

давайте любить! - Vamos fazer amor! (ucraniano)

嫁给我! - Casa comigo! [chinês simplificado (como?!)]

मैं गर्भवती हूँ! - Estou grávida! (Hindu)

Como vêem, estamos no bom caminho!

4 comentários:

o dono do blog disse...

Essa do "chinês simplificado" é o máximo.
Se isto é "simplificado", como será o "complicado" ahahah.

Bjs.

Majo disse...

си јебено! (estamos lixados!... em sérvio)

É a velha história de sermos "um país de brandos costumes". Tão brandos que estamos a ser invadidos e um dia destes deixamos de ter identidade. :(

Bjinhos ;)

Rita Maria disse...

Para nem falar da forma incrivelmente rápida como esta gente aprende línguas. Nao me parece que os filhos deles estejam a ter dificuldades de adaptaçao nas escolas, muito pelo contrário...

As identidades e culturas que se perdem sao as que têm de ser protegidas, em vez de se fortalecerem na mistura.

S* disse...

AHAHAH

Muito tu inventas.

É preciso sabermos essas linguas todas, é? Eu prefiro engatar um tuga... ou um grego... ou um italiano!