sábado, 21 de março de 2009

A sério

Ontem, pelas 17h, vinha eu a atravessar uma rua com lojas. Ia à pressa, mas olhando em volta como faço sempre. De repente deparo-me com um homem sentado num degrau, cotovelos apoiados nos joelhos, queixo apoiado nas mãos, olhos tristes postos no chão, cabelos brancos e desgrenhados, barba branca comprida. Uma caixa de cartão à sua frente e um cartaz "por favor dê-me uma ajuda para comer".
Na minha pressa, não parei. Senti o meu olhar desviar-se e cair também no chão. Senti um nó na garganta. Não parei. Continuei a andar. Mas a imagem daquele homem não me sai da cabeça e só queria ter parado, ter-lhe dado a moeda. Ontem eu devia ter parado.



6 comentários:

Ana disse...

Também sinto que na quinta feira devia ter parado. Mas para a semana vou parar, ja prometi.

Rafeiro Perfumado disse...

Já me aconteceu uma coisa do género. Saí do emprego, meti o MP3 novinho nas orelhas e apressei-me. Passei por um sem abrigo que me pediu algo para comer, tendo-o ignorado com um olhare continuado a andar. Ao chegar ao metro parei, pensando se tinha atingido o ponto em que me tornaria insensível. Voltei atrás e dei-lhe as moedas todas que tinha. Mas a mágoa ficou cá dentro...

Fada disse...

Compreendo-te perfeitamente... A mim custa-me ver os velhotes e os garotos... Porque temos de ter sensibilidade para distinguir a miséria verdadeira da trapaça do costume... Quando sou "insensível", porque vou com pressa, ou distraída, tento redimir-me de alguma forma, se não com a pessoa em causa, com outra que também precise.

Porque há pessoas que precisam mesmo, e não me esqueço que, não sendo rica (nem pouco mais ou menos), tenho mais que muitos, sou abençoada.

Beijitos

Ana disse...

Beijinho!

Ka disse...

Podes sempre tentar lá passar para veres se lá anda....mas percebo o que falas ...

Mister.io disse...

Há um mendigo que está sempre à porta do pingo doce. Uma vez vi-o às compras lá dentro. O que é que ele comprou? Um pacote de vinho tinto ;-)