terça-feira, 7 de abril de 2009

Passado e presente

Hoje, entrei nos correios para ir buscar a minha correspondência ao apartado (sou muito fina, pois...) e deparo-me com uma mulher da minha idade cujas feições não me eram nada estranhas. Tive de rebobinar a cassete para uns 20 anos antes para me lembrar que era uma antiga colega de escola.
Estava com um ar envelhecido, rugas fundas na cara. Ela tem precisamente a minha idade e parecia que tinha mais. Fiquei a pensar que mais do que envelhecida pelo tempo, parecia envelhecida por ter passado por algumas merdas na vida.
Mas não lhe disse nada. Entrei, dirigi-me ao apartado, recolhi o correio e vi-me embora. Há anos que não a via e se quando éramos colegas não tínhamos assim muito a ver com a outra, agora pressenti que seria muito pior.
Fui-me embora a pensar "porra... uma miúda que parecia uma bonequinha agora parece um farrapito... que coisa!".

Meti-me no carro, fui à minha vida e não pude deixar de pensar que algumas pessoas que são muito lindinhas na adolescência e que por vezes até se dão ao luxo de fazer pouco dos outros (era o caso...)apanham umas lambadas da vida e o espelho denuncia. Não me dá para pensar "bem feita" ou "ahahahah, quem por último, ri melhor". Não. O que penso é que a adolescência é demasiado curta e que a idade adulta nos apanha e não nos larga mais. Que as parvoíces que dissemos e que nos disseram não passam disso mesmo... Não sou uma tipa magnânima e com o discurso de "dar a outra face". Mas realmente há coisas que prescrevem e outras que pura e simplesmente deixam de existir.

E fiquei agora a pensar por que cargas de água é que esta pessoa teve honras de um post neste blogue...

10 comentários:

cat in a bag disse...

"as parvoíces que dissemos e que nos disseram não passam disso mesmo", mas marcam. Por isso é que escreste o post.

Faz parte do passado. A única coisa que podemos fazer, é aprender com o que passou.

Fada disse...

Talvez tenhas ficado a pensar mais no sentido do Tempo que passa tão rápido, do que propriamente na beleza que desaparece...

beijitos

Irremediavelmente Inconformado disse...

eu quando era mais novo (mais ainda do que sou) pensava mais ou menos dessa maneira mas na vertente oposto:
"aposto que esta feia daqui a uns 10anos vai ser uma gaja muita boa..."

e 10anos passaram e algumas delas estão umas brasas autenticas. outras, nem por isso...

Miss Glitering disse...

Porque és uma pessoa bem formada e como todas as pessoas bem formadas, não dizem "bem feita", mas reflectes no que foi e já não volta e no que somos de verdade versus o que parecemos ser.

Gostei.

Beijinhos

*

Rafeiro Perfumado disse...

Eu não sou tão altruísta como tu. Quando vejo os meus colegas de escola com panças e sem cabelo, farto-me de gozar, às vezes na tromba deles. Sim, sou uma besta...

Ana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Girilim disse...

Eheh pelo menos aposto que sempre te fez sentir mais nova...;)

Lizard King disse...

A maioria dos adolescentes populares tem uma adultez escurecida e de pouco brio...porque algures no caminho rivalizaram na atenção e perderam o comboio que os deveria levar ao mundo real...ainda bem que o apanhas-te :)

rosemary disse...

As coisas mudam muito depois dos tempos de escola... E acredito que as pessoas as pessoas também mudem.
Enfim, c'est la vie!!

Bjs*

Miss G disse...

Provavelmente foi um sentimento de justica feita que te levou inconscientemente a escrever sobre ela.