sexta-feira, 24 de abril de 2009

25/4/1974 - 24/4/2008 35 anos de cravos

Nasci em 1972. Em 1974, precisamente uma semana antes do meu segundo aniversário deu-se o 25 de Abril.
É óbvio que não me lembro de nada disto. As minhas lembranças sobre o 25/4/1974 começam a partir de 1976 com a obrigatoriedade de fazer a cada véspera do dia 25/4 um desenho alusivo e, a partir de 1978 acrescentar a isso uma composição.

Levava o mês de Março a treinar os meus cravos. Quanto à composição, punha o que me era ensinado na escola. Nem me lembro bem o que debitava na maldita composição. Os cravos ficaram sempre ranhosos.



Hoje, a umas horas de estar precisamente a uma semana do meu 37.º aniversário há coisas que me preocupam mais que o 25/4/2009. O ano em que a tal revolução dos cravos faz 35 anos.

Que me perdoem todos os que foram maltratados, torturados, presos, censurados... mas eu hoje não vejo razões para comemorar. Vejo um país regido por medíocres, corruptos, e uma população embrutecida e cega com "doutas" opiniões de quem apregoa a liberdade de expressão.

No entanto, hoje, ao dizer que o 25/4 me é indiferente, estou a ir contra a corrente, estou a ir contra a opinião dominante e serei encarada como uma fascisóide reaccionária.

Se, em pleno 2009 eu tecer alguma opinião contrária ao discurso dominante dos "opinion makers", sou rotulada de tudo e mais alguma coisa.

A liberdade não é só não haver PIDE ou lápis azul. A liberdade é dizer que hoje isto não me diz nada e ouvir do outro lado "ok, a ti não te diz. mas não é por isso que defendes a ditadura".

E por falar em ditadura... por que não comemorar-se o 25 de Novembro de 1975? Quando este dia também for feriado, o 25/4 terá muito mais significado.

Zeca Afonso, a canção que me inspiras hoje é:

Negro, Bairro Negro, Bairro Negro
Onde não há pão, não há sossego...

4 comentários:

Ana disse...

"ok, a ti não te diz nada. mas não é por isso que defendes a ditadura".
Nasci 11 anos depois mas partilho o mesmo sentimento!
Beijo

Fada disse...

:s

Apesar de não me ser indiferente, não é algo que me apeteça "comemorar".

Tanto não é indiferente que fiz 3 posts alusivos, em parte inspirada pelo texto do Bruno Fehr no http://so-me-apetece-cobrir.blogspot.com/2009/04/25-de-abril-sempre.html (passe a publicidade a outros bloggers).

Às vezes, dá vontade de ser violenta e esfregar a cara de alguns mentirosos que assumiram a revolução sem terem mexido uma palha, nem arriscado o pescoço, na bandeira e perguntar-lhes aos berros: Liberdade, onde???

Grrrr...

Desculpa ter-me exaltado no teu blog, não costumo fazê-lo na casa dos outros...

Beijitos para ti e um bom fds... :)

PKB disse...

Refila à vontade, Fada! =))

Mi casa, su casa!

Beijinhos!

Cão disse...

Eu vivi o 25 de Abril e, por assim dizer, até "ajudei" um pouco a fazê-lo, mas o 25 de Abril de hoje, também já não me diz nada.
Comemorar o quê? a ascensão dos hipócritas ao poder?
Não me espanta que o 25 de Abril tenha tão pouco significado para quem tinha apenas 2 anos, do mesmo modo que o 5 de Outubro representa muito pouco para mim. O que me espanta e me deixa, de certo modo, revoltado, é que uns imbecis que vieram a correr do estrangeiro, no dia 26 de Abril, se tenha intitulado os donos da revolução - que não fizeram - e passados poucos anos aproveitem a democracia para serem aquilo para o qual nunca tiveram capacidade.
Somos governados por uma cambada de chulos e outra de incompetentes!